Museu do Samba celebra aniversário do Rio com exposição interativa e live no dia 1º de março

O Museu do Samba preparou uma programação especial para celebrar o aniversário de 456 anos da cidade do Rio, no dia 1º de março. Na ocasião, a instituição vai promover uma abertura virtual da exposição “Semba/Samba:
Corpos e Atravessamentos – Brasil e África: Traduzindo o Nosso Samba”, com debate e visita interativa. Os conteúdos estarão disponíveis ao público no canal do Museu do Samba, no YouTube, a partir das 16h.

Idealizada por Aloy Jupiara, Felipe Ferreira, Nilcemar Nogueira e Rachel Valença, a exposição, que entra em sua segunda fase, celebra os saberes da ancestralidade africana e suas conexões socioculturais e religiosas com o
universo das escolas de samba. A curadoria textual é de Nei Lopes e de Luiz Antonio Simas (que vai conduzir a visita guiada virtual). Já os carnavalescos da Grande Rio, Leonardo Bora e Gabriel Haddad, respondem pela curadoria
artística e projeto expográfico.

A exposição apresenta obras de artistas que entendem o dia a dia dos barracões das agremiações, como as carnavalescas Rosa Magalhães, Lícia Lacerda, Maria Augusta e Annik Salmon, os carnavalescos Milton Cunha, João Vitor Araújo, Alexandre Louzada e Jorge Silveira, além dos chefes de ateliês Bruno César, Ana Bora e Alessandra Reis, e a escultora Marina Vergara.

Também estão expostos figurinos de Samile Cunha e Rafael BQueer, que são destaques performáticos, e reproduções de quatro pranchas desenhadas por Fernando Pinto para o desfile de 1972 do Império Serrano.

Visitantes poderão conferir, ainda, fotografias de Ayrson Heráclito, Daniel Taveira, Lucas Bártolo, Almir Júnior, Wigder Frota e Talita Teixeira. Há, também, pinturas e reproduções de artistas que dialogam com os espaços e os
corpos carnavalescos e do samba, como Heitor dos Prazeres, Tia Lúcia, Guilherme Kid, Mulambö, André Vargas, Osmar Igbode, Cibelle Arcanjo e Júlia Tavares.

Obras da exposição dialogam com a herança africana na cultura brasileira | Foto: Divulgação / Museu do Samba

“No dia do aniversário do Rio, o Museu do Samba oferece uma programação que celebra dois dos maiores patrimônios culturais da nossa cidade: o samba e o carnaval. Será uma chance para cariocas e pessoas de outros estados e até
de outros países poderem conhecer um pouco mais sobre a nossa exposição, que é toda baseada no respeito à ancestralidade”, explica Nilcemar Nogueira, fundadora do Museu.

As visitas ao Museu do Samba, que seguem todos os protocolos sanitários de segurança estabelecidos pelos órgãos competentes, deverão ser agendadas pelo telefone (21) 3234-5777 ou pelo e-mail contato@museudosamba.org.br

A programação conta com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Secretaria Municipal de Cultura, por meio da Lei Municipal de Incentivo à cultura – Lei do ISS.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.
Os campos são marcados obrigatórios.